O desaparecimento de crianças e adolescentes
O desaparecimento de uma criança é certamente um dos piores pesadelos que um pai ou uma mãe podem viver. O sofrimento das famílias que tiveram parentes desaparecidos tem conseqüências devastadoras.

A não solução destes casos é uma violência cometida contra elas e um flagrante desrespeito aos direitos humanos, e como tal, deve ser combatido.

Apesar de não ser um fenômeno de proporções epidêmicas, sua natureza traumática e com profundas repercussões sobre a família e a comunidade, justifica a atenção e o empenho do Estado e da sociedade para a solução de cada um dos casos. Porque as crianças e adolescentes desaparecem no Brasil? Quais são as possíveis causas deste fenômeno? Negligência, abandono, subtração de incapaz, cooptação, abuso sexual intrafamiliar e maus tratos podem configurar suas possíveis causas.

A violência doméstica e/ou sexual é um dos principais motivos de fuga de crianças e adolescentes de seus lares. Uma vez desamparados e vulneráveis psicologicamente, podem ser manipulados e aliciados com maior facilidade na exploração sexual e comercial compreendida nas modalidades de turismo sexual, tráfico de crianças e adolescentes para fins sexuais, prostituição infanto - juvenil e pornografia infantil.

Devemos levar em conta, no entanto, que crianças subtraídas em uma maternidade apresentam uma configuração familiar muito distinta de crianças que são abusadas sexualmente e fisicamente por familiares.

A subtração de um bebê independe da dinâmica familiar. É uma fatalidade cuja prevenção é da alçada da maternidade/hospital que deveria se instrumentalizar adequadamente para evitar isto.

Assim, temos uma gama significativa de crianças desaparecidas por causa de uma dinâmica familiar frágil, que também não encontra amparo nas políticas sociais e na sociedade para se fortalecer, não consegue desta forma estabelecer limites indispensáveis que visem a proteção e manutenção física e emocional de seus membros, além dos outros casos que levam ao desaparecimento de um bebê ou uma criança.

Torna-se primordial que as famílias de crianças e adolescentes desaparecidos recebam atendimento psicológico, não apenas para um suporte emocional durante o período de espera pelo retorno do ente desaparecido, mas também para compreender, no caso de famílias abusivas, porque seu funcionamento familiar se configura com determinadas características que acarretam sérios prejuízos emocionais. Além disso, o atendimento psicológico possui um caráter preventivo no sentido de evitar que outras crianças e adolescentes se encontrem em situação de vulnerabilidade.

 
 
© 2014 Caminho de Volta.Todos os direitos reservados.